.posts recentes

. ENSAIO LG21 * LITERACIA G...

. ANÁLISE DA ACTUALIDADE PO...

. NEUROCIÊNCIAS E EDUCAÇÃO ...

. REVISTA VISÃO DESTE SEMAN...

. NERCAB PERCEBE A NECESSID...

. MILÃO E IZMIR, DUAS FERVE...

. DESERTIFICAÇÃO EXIGE UM S...

. A CIDADE DE VENEZA COM RI...

. SUÉCIA, PIONEIRA DO COMBU...

. À meia duzia é mais barat...

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2007

KOSOVO, PARA QUANDO UMA SOLUÇÃO DE PAZ ?

 

            Depois dos independentistas kosovares terem ganho, no passado dia 17 de Novembro, as eleições legislativas agendadas para esta mesma data, pode afirmar-se, sem rodeios de maior, que as placas geopolíticas e tectónicas dos Balcãs, têm vivido em estado de alerta laranja : de um lado da barricada, temos uma Sérvia, apoiada por um Kremlin decidido ; enquanto, do outro lado, sentimos estar uma Europa, um pouco comedida no seu inteligente processo de gestão dos ânimos mais exaltados, mas que pretende ver, a partir do próxima dia 10 de Dezembro, data fixada pela ONU – por acaso ou não, o dia da comemoração da Declaração Universal dos Direitos do Homem -, resolvida nas suas linhas essenciais.

            Em boa verdade, esta situação tem-se vinda a arrastar há mais de quinze anos a esta parte, nas barbas da comunidade internacional. Parece que a consertação de esforços, encabeçada pela Organização das Nações Unidas, no que à mediação do conflito se refere, não conseguiu sarar, em definitivo, as feridas, ainda sangrentas, abertas pelo despojar de humanidade, que qualquer guerra acarreta.

            Na Bósnia-Herzegovina, as três comunidades étnicas continuam a não renunciar aos seus propósitos belicistas e, muito menos, aos seus fortes preconceitos inamovíveis, ao que acresce – e nada abona em favor de um desfecho que, há tanto, se espera poder ver chegar a luz do dia – um quadro económico e político, manifestamente, paupérrimo. Da parte da Macedónia, espreita do canto da incerteza a potencial contenda entre as populações albanesa e eslava, ali residentes. Como se não bastasse, no sul da Sérvia, as duas comunidades muçulmanas rivais lutam, a todo o custo, pelo poder ; ao que tudo leva a crer, motivadas, é quase certo, por ingerências de quadrantes geopolíticos externos.

            No meio de todo este caos forjado nos matizes dos poderes e contra-poderes da História, um cenário surge, no horizonte, como o mais provável : se as tensões registadas não se acalmarem, o quantos antes, tudo leva a conjecturar um quadro dantesco, para os próximos dias.

            Os Surreal esperam. sinceramente, que a mediação, o diálogo e o entendimento entre as partes seja, efectivamente, alcançado. Isto, claro está, para bem de todos. Não só os kosovares, nem só os sérvios. Todos nós.

            Governantes de todo o mundo e Altos Representantes das ONG, fazei o favor de interceder por todos eles e todos nós, em favor de uma solução de paz. Dois coelhos seriam atingidos, de uma assentada : por um lado, o dia 10 de Dezembro faria jus à sua habitual efeméride e, por outro, o Natal, cada vez mais perto, com toda a certeza, seria bem melhor para as crianças dos dois lados das diatribes e contendas.

Elas nada têm que ver com esse tipo de opções. Será que alguém as consultou ?

Ou será que, nas democracias ocidentais, elas não têm voto na matéria ?

 

Valerá, garantidamente, meditar um pouco sobre esta dura e crua realidade, à nossa porta. Um voto de esperança no futuro aqui deixamos …

 

sinto-me: UM CRENTE NUM BOM DESFECHO !
publicado por $urrealHumanity às 11:28
link do post | comentar | favorito

CIMEIRA DE ANNAPOLIS : A INCERTEZA DE UMA PAZ ANUNCIADA

           

  Quase ninguém, mesmo na sua mais idónea ingenuidade, acredita no desfecho glorioso, há tanto aguardado para o interminável conflito israelo-palestiniano, sobretudo, depois de várias negociações de paz terem visto todas as suas esperanças defraudadas, mesmo a áurea Cimeira de Camp David. Nem mesmo o caudal mediático do momento tem conseguido despertar, da sonolência e cegueira habituais, os mais incrédulos destas lides nascidas desde o momento da fundação do Estado de Israel.

            Indesmentível é a sôfrega e duríssima diáspora infligida ao povo judeu, desde tempos imemoriais. Depois de 1948, tudo faria supor, aos olhos reluzentes dos partidários novo estado hebraico, o termo desta dor imparável, na genealogia da sua adâmica descendência. Os horrores do holocausto nazi e das fogueiras inquisitoriais, ainda hoje, continuam por digerir, queiramo-lo ou não.

            Mas, não podemos compactuar com tudo aquilo que está por resolver, por parte de Israel. A questão dos refugiados palestinianos, a redefinição das fronteiras definitivas com o Estado Palestiniano, a revisão da posição em relação aos colonatos israelitas na Cisjordânia e a, sobejamente, conhecida contenda pela “repartição territorial” da cidade de Jerusalém, são, no entender dos Surreal, pontos decisivos neste encontro, mediado pelo Senhora Secretária de Estado norte-americana, Condoleeza Rice, e pelo próprio Presidente, Georg Bush, em antevésperas do termo do seu segundo mandato, à frente do país com maior pendor hegemónico dos dias que correm.

            Por estranho que possa parecer, tanto o Primeiro-Ministro de Israel, Ehud Olmert, por muitos opositores considerado fraco na condução das suas políticas, quanto ao Presidente, Mahmud Abas, com uma legitimidade política em aparatosa curva descendente, podem jogar, aqui, cartadas de alto valor geopolítico, dependendo, claro está, dos resultados que venham a ser alcançados por ambos.

            Algo é evidente : se a via diplomática voltar a não conseguir impor-se, devido a não cedências de parte a parte, como sucedeu em tantas outras ocasiões, aí sim, os estados israelita e palestiniano começam a abrir brechas alarmantes, no tecido das suas políticas internas, que poderão vir a permeabilizar a entrada dos movimentos extremistas, como o Hamas, por exemplo.

            Como todos bem sabemos, é das questões políticas do momento, das mais preocupantes para o quadro global em curso. Egoísmos e orgulhos desmedidos continuarão a produzir os mesmos resultados de sempre. Mudem de registo !

sinto-me: COM FÉ NUMA SOLUÇÃO DE PAZ !
publicado por $urrealHumanity às 11:26
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 23 de Novembro de 2007

EMISSÕES DE DIÓXIDO DE CARBONO, EM 2005, ATINGEM VALORES ALARMANTES

 

            É verdade, o ano de 2005 ficou muito aquém das expectativas traçadas pelos mais esperançados adeptos dos valores ecológicos. Uma das principais razões deste descarrilamento, está, intimamente, relacionada com o aumento significativo do número de emissões de dióxido de carbono. Esperava-se, na fiel continuidade das descidas registadas durante toda a década de 90, que a tendência para a diminuição do número de emissões se mantivesse, mas o planeta acabou por seguir um outro caminho paralelo a este. No lugar da descida vertiginosa, uma temida inflexão em sentido ascendente.

 

            Porquê, como e quem, apetece perguntar para aliviar a consciência.

            Se os números não tiverem mentido, pela boca dos seus intérpretes, o aumento registado ficou a dever-se, em grande parte, aos comportamentos desajustados dos países mais industrializados e aos que integram o, comummente, designado Bloco de Leste. Tanto se têm criticado os Estados Unidos da América pelo seu não comprometimento com Quioto, mas a verdade é só uma : Espanha, Portugal, Irlanda e Canadá, parecem ser péssimos conselheiros, a avaliar pelos aumentos, em percentagem, do número de emissões.

 

            A curto prazo, as esperanças num futuro melhor continuam incólumes, especialmente, para Yvo de Boer, secretário executivo da Convenção Quadro das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, vulgarmente, conhecida pela sigla UNFCCC, – engraçado terminar em CCC, desculpem a ironia – que equacionou agendar, em Bali, para Dezembro próximo, uma conferência internacional que volte a colocar, no lugar certo, as peças deste intricado jogo de xadrez ambiental.

 

            Verdade ou não, algo de positivo paira no ar, tanto mais, que, no passado dia 20 de Novembro, um grupo de trinta países da África e do Mediterrâneo subscreveu, conjuntamente, a Declaração de Tunes, a qual consagra como política prioritária a necessidade urgente de fazer face às alterações climáticas, já em curso.

 

sinto-me: MENOS ENTOXICADO ?!...
publicado por $urrealHumanity às 14:59
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 21 de Novembro de 2007

FRONTEIRAS NACIONAIS COM ESPANHA A REMODULAR ?

 

No passado sábado, dia 17 de Novembro, na localidade espanhola de Alcântara, teve lugar, como tem sido habitual ao longo dos anos, o acto oficial de revisão de fronteiras entre Portugal e, a nossa vizinha, Espanha. Note-se que esta prática, entronca no artigo 25º do Tratado de Limites, assinado por Portugal e Espanha, a 29 de Setembro de 1864, e no artigo 11º do Convénio de Limites, de 1926.

 

 

Neste espaço geográfico, inextricavelmente, ligado ao Município de Idanha-a-Nova, locus fronteiriço, no território pertencente às freguesias de Monfortinho, de Salvaterra do Extremo, Segura e Rosmaninhal, através dos rios Erges e Tejo, aliás, os naturais marcadores do território - bem vistas as coisas em toda a sua objectividade.

 

 

Valerá a pena continuar a sobrevalorizar as fronteiras, no actual quadro da UE ?

Muito provavelmente, voltaremos a esta temática, por razões óvias, no próxima dia 1 de Dezembro.

 

sinto-me: PORTUGUÊS DE CASTELA ...
publicado por $urrealHumanity às 10:37
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 8 de Novembro de 2007

AL GORE RECEBE MAIS UM PRÉMIO

 

 

A SUA PREVISÃO VAI NO SENTIDO  DE A TEMPERATURA PODER VIR A SOFRER UM AUMENTO SIGNIFICATIVO, EM TERRAS DE ESPANHA, MAIS DO QUE EM QUALQUER OUTRO PAÍS DA EUROPA

 

Este ano, Al Gore conseguiu um feito inédito e surpreendente : amealhou o Prémio Nobel da Paz, referente a este ano de 2007, e, como se não bastasse, recebeu, ainda, na cidade de Oviedo, pelas mãos de Felipe de Bourbon, o Prémio Príncipe das Astúrias para a Cooperação Internacional.

Efectivamente, os estudos científicos, já amplamente, debatidos pela opinião pública, apontam para que, na Península Ibérica, em especial, em Espanha, dadas as suas enormes cadeiras montanhosas, os verões possam vir a ser prolongados, por duas a cinco semanas. Acresce a esta dilatação estival, o risco da extinção de algumas espécies, nomeadamente, a águia imperial e o lince ibérico ; é possível, também, que o Mediterrâneo se veja invadido por miríades de medusas.

Como é evidente, a nossa arguta perspicácia lusitana não nos deixa antever cenários muito optimistas, para o clima no nosso país. Seja como for, Al Gore foi peremptório nas suas afirmações, eivadas de alguma esperança : acredita que a Península, onde nos encontramos, possa compensar algumas das inevitáveis perdas, mediante a retenbilização optimizada do vento e do sol, tão característicos. Ao que parece, reunimos, juntamente com a vizinha nuestra hermana, Espanha, condições próximas das ideais, isto tendo em conta o enorme potencial geoclimático, certamente, traduzível em renovadas vantagens económicas, na produção de energia renováveis.

Cientistas portugueses, conhecedores dos dossiers, onde Al Gore foi beber o elixir dos seus prémios, convergem quanto às conclusões. Os cuidados a ter com a desertificação, cada vez mais, premente, devem ser mantidos com muita atenção. De facto, as previsões estabelecidas, até ao momento, fazem emergir cenários alarmantes : doenças tropicais em regime de migração incontolada ; forte erosão da zona litoral ; grandes alterações dos níveis médios de precipitação, com alternâncias muito acentuadas, entre longos períodos de seca, contrastando com cheias repentinas ; problemas diversos para as regiões do interior - o Alentejo e as Beiras, no nosso caso -, com a possibilidade de uma subida geral da temperaturas, na ordem dos seis graus centígrados.

Independentemente, daquilo que irá acontecer num futuro breve, algo de conclusivo deve ser extraído de todos estes estudos e análises levados a cabo pelos especialistas : devemos recuperar as linhas de orientação do Protocolo de Quioto e, no essencial, reduzir as emissões de dióxido de carbono, para a atmosfera, em 30 %, até 2020, e, em 60 %, até 2050, sob pena das consequências poderem ser desastrosas.

Cuidado com as nossas atitudes dárias, é que, Quioto, também, depende de nós !

Um pedido ousado, dos Surreal, é rogar-lhe para que o faça, mas sem estar à espera de prémios, sejam eles quais forem.

sinto-me: PREOCUPADO, MAS COM ESPERANÇA
tags:
publicado por $urrealHumanity às 22:57
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 5 de Novembro de 2007

A união Europeia no Mundo

JORNADAS EUROPEIAS DO DESENVOLVIMENTO
LISBOA, DIA 8 DE NOVEMBRO DE 2007

União Europeia : 50 Anos de História e de Solidariedade

A UE é o principal doador do mundo da actualidade, sabiam ?

Ela pretende liderar uma aliança mundial, no sentido de debater os efeitos dramáticos que, graças às alterações climáticas, se têm feito sentir ; naturalmente, como não poderia deixar de ser, com maior impacte negativo junto dos países mais vulneráveis e empobrecidos. Daí que, para o conjunto dos vários Estados-Membros, se trate de uma prioridade incontornável, com carácter de obrigatoriedade, dada a sua forte componente humanitária.

Curiosamente, já passaram 50 anos desde a sua saudosa fundação ...

Corria, então, o ano de 1957. Numa altura, em que vinha ao mundo o primeiro computador - digno desse apodo - com disco rígido e o célebre Fiat 500. Outro facto histórico importante, referente a esse mesmo ano, prende-se com o lançamento do (pioneiro) satélite, Sputnik, pela ex-URSS - aliàs, já relembrado, recentemente, num dos posts do concurso "Cidades Criativas" ; e, bem, diga-se de passagem.

Outra curiosidade, ainda, numa época em que a voz de Martin Luther King soava, mais intensamente, nas consciências societais norte-americanas, de então, a tenista, Althea Gibson, sagrava-se a primeira campeã, de cor negra, do conceituado Torneio de Wimbledon.

Já, agora, comparemos esses anos com a actualidade. O que vos parece ?

Estará tudo na mesma ? Terá melhorado ?

 Hoje, temos Erasmus Mundus, autênticas portas - não janelas - entre culturas ; sabemos que a cultura é o fac-simile da alma de um povo e, também, a sua palavra. Hoje, temos os Direitos do Homem, já implantados, com alguma sustentabilidade, em muitos lugares do globo, até há bem pouco tempo, inimagináveis. Hoje, temos uma Europa que olha, olhos nos olhos, o Sudeste Asiático, o Líbano e o conflito israelo-palestiniano ; e, percebe-se que não pretende ficar por aqui. Deseja, um pouco na esteira dos programas defendidos, corajosamente, pela UNICEF, uma Educação para todos ; vacinas, para todos ; medicamentos, para todos ; água potável, para todos, sobretudo, para as crianças e os mais idosos ;um plano de saúde, para todos. E deseja, acima de tudo, uma pena de morte para ninguém ! Acabe-se com essa prática de vez !

Sim, uma Europa que olha, mas não só por olhar. Não continuemos a seguir a velha lei de Talião, em vez disso, ouçamos as palavras de Ghandi, a este propósito : "Olho por olho ... e o mundo acabará cego".

Por tudo isto, a Europa e a Comissão Europeia estão de parabéns : mantenhamos o objectivo consagrado para 2015 em mente, cremos que, por 49 euros cada um, valerá a pena.

Atenção : Sabia, por acaso, que, em 2007, a UE contribui com 56 % das ajudas públicas concedidads pelo mundo inteiro ?

Não me digam que não há mérito nisto. Continuemos a ser europeus, mais europeus.  E melhores cidadãos do mundo, hoje, chamado, Aldeia Global !

É caso para dizer : bendito sejas ó Tratado Reformador.

Vale a pena pensar nisto . . .

                                                                                  Grupo Surreal Humanity

Visitem o sítio : http://www.eudevdays.eu

sinto-me: ORGULHOSAMENTE EUROPEUS...
publicado por $urrealHumanity às 21:47
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds